Arquivo | maio, 2009

Amizade.

31 maio

“Amigo fiel, refúgio poderoso. Quem o descobriu encontrou um tesouro.”

Antigamente quando me diziam que “amigos verdadeiros são poucos” eu discordava totalmente dessa frase. Eu realmente acreditava que estava cercada de amigos, fiéis e sinceros.

A vida se encarregou de mostrar-me o quanto eu estava enganada. No sofrimento eu descobri o quanto a amizade é rara e importante. Hoje eu me pergunto o que seria de mim sem os amigos que tenho. São poucos, mas fazem toda a diferença.

Altos ou baixos, loiros ou morenos, bonitos ou feios, ricos ou pobres. O que eles são por fora é o que menos interessa a mim. Escolho meus amigos não pela aparência, mas pelo que eles são por dentro. O que me atrai não é o que eles possuem, mas o que eles são e o que eles fazem. Não digo isso de maneira hipócrita, como muita gente costuma fazer. Gosto de gente que sabe ser gente, gosto de quem me mostra o quanto a vida vale a pena.

Amizade não se resume em bons momentos, alegrias e risadas. Amigo de verdade fica junto com você em todos os momentos. É ele que vai estar com você quando ninguém mais estiver ao seu lado. É ele que vai te entender quando ninguém mais souber o que se passa dentro de você.

É ele, seu amigo de verdade, que vai permanecer junto a você, nessa longa caminhada que é a vida, sem nunca desanimar. E mesmo que os problemas dele sejam maiores que o seus, ele vai estar lá te ajudando a suportar o que você pensa ser “o fim do mundo”.

Quero dizer a todos os amigos que tenho: eu amo vocês. Com toda a sinceridade do meu coração.

Deixo a vocês esse texto que Oscar Wilde escreveu, descrevendo com exatidão o que eu tentei explicar.

“Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.

Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.

A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.

Deles não quero resposta, quero meu avesso. Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.

Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.

Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!

Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que “normalidade” é uma ilusão imbecil e estéril.“

Até mais. ^^

Anúncios

Descubra quem você é e seja de propósito.

30 maio

Hoje em dia, é tão difícil encontrar alguém que seja autêntico. Alguém que tenha coragem o bastante para ser o que quiser. Conheço tanta gente que é “levada” pela opinião alheia.

Pergunto-me, sinceramente, isso é viver? Não estou dizendo que cada tem que fazer o que “der na telha” sem se preocupar com mais nada. Não. Ser autêntico está longe disso.

Autenticidade: s.f. Caráter do que é autêntico, legítimo, verdadeiro.

A definição acima é o que o dicionário nos diz. Isso explica um pouco o que eu quero dizer. Ser autêntico é ser verdadeiro. É “legitimar” o que você é.

Falar sobre autenticidade e, principalmente, sobre personalidade é muito complicado. Eu não posso falar pelos outros, falo somente por mim. E eu gosto mesmo do que é simples, do que é sincero e acima de tudo, verdadeiro. Busco sentimentos autênticos, palavras legítimas. Procuro olhares que não sejam apressados, mas que saibam enxergar a alma da gente.

Tenha paciência e compreenda que nem todos são como você.

Não viva em função dos outros, seja o suficiente para si mesmo. Mas não seja auto-suficiente demais, é impossível ser feliz sozinho. Não obrigue ninguém a aceitar seus defeitos. Não deixe que ninguém menospreze suas qualidades. Não corra demais, a beleza da vida consiste nos detalhes que a pressa lhe impede de enxergar.

“A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade.” Carlos Drummond de Andrade

Meu nordeste sofrido.

29 maio

Quando olhei a terra ardendo qual fogueira de São João afogada, sufocada. Eu perguntei a Deus do céu, ai. Por quê tamanha judiação.

A situação do nordeste está cada dia pior. As enchentes não destruíram apenas casas, destruíram famílias, acabaram com a dignidade de alguns. De repente você se depara com o nada. Não ter casa, movéis, comida e principalmente um teto para se abrigar. Olhar para trás e ver tudo o que construímos debaixo d’água, sob o lamaçal. Ter seus sonhos destruídos, não conseguir sonhar. Os céus choram lágrimas e elas nos sufocam, trazem tristeza a nós. São tantas águas que afundam nossas esperanças, matam a vida e os anseios.

Então, lembra-se da terra que ardia. Do calor que os tomava por inteiro e imagina-se que as rezas por chuvas deviam ser menos intensas. Tudo é em excesso. As coisas poderiam ser menos trágicas. A chuva poderia apenas refrescar o fim da tarde, matar a sede da plantação. Mas ela quis ser malvada, optou por ser a antagonista da história. Sendo o vilão de muitos. A chuva castiga o Nordeste e ele sofre. Chora com suas crianças, idosos, homens e mulheres. E estes afugentam-se na esperança de dias melhores.

A sociedade nada faz para ajudar. Onde estão àquelas mesmas pessoas que se movimentaram para ajudar Santa Catarina? Os nordestinos têm menos valor do que os sulistas? A maioria deles não tem como se reerguer, esperam apenas a ajuda que vem do céu. A comida, as roupas, o carinho e a dignidade.

Será que eles acham que pelo fato do Sul ser mais bonito que o Nordeste eles merecem mais? Até quando o dinheiro e a classe social falará mais alto? É revoltante pensar e ver nossos irmãos, pessoas de bem sofrendo dessa maneira.

Até quando as pessoas acharão que os sulistas são melhores que os nordestinos? Somos todos iguais.

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza.

Agora prove o contrário!

Vale a pena viver.

29 maio

“Quero dizer às pessoas que nada foi em vão… Que o amor existe, que vale a pena se doar as amizades e as pessoas, que a vida é bela sim e que eu sempre dei o melhor de mim.”

Quem não deseja chegar ao fim da vida, olhar pra trás e dizer o quanto valeu a pena?

Valeu a pena cada risada e cada lágrima.

Valeu a pena cada abraço, cada sorriso.

Valeu a pena cada conversa, cada instante de silêncio.

Valeu a pena amar, se entregar…

Valeu a pena ter saído.

Valeu a pena ter ficado.

Valeu a pena ter dito.

Valeu a pena ter calado.

Valeu a pena ter vivido.

Não importa o que você fez ou o que gostaria de ter feito. O importante é saber se o pouco que você fez foi o bastante para você.

Se os seus gestos e suas atitudes estão guardados na lembrança de alguém, de uma maneira boa, acredite, já valeu a pena ter passado por aqui.

Sem mais o que dizer.

Até mais. ^^

Amor x Ódio.

28 maio

O ódio caminha junto com o amor, a raiva é o anteposto da paixão e faz parte dela.

2587130555_784bf3ffd6 Alguns a consideram como uma doença, outros gostam de senti-la.  A raiva é um protesto, um sentimento de frustração contra alguma coisa ou alguém. Que muitas vezes se exterioriza quando o ego sente-se ferido ou ameaçado. A intensidade da raiva, ou a sua ausência, difere entre as pessoas. Algumas pessoas gritam, se machucam, quebram coisas e se mordem. Outras apenas se isolam. Não querem papo, não conversam com ninguém. E outras preferem além de demonstrar esse sentimento fazer com que sintam também, prejudicando as pessoas.

Alguns excessos levam as pessoas a cometerem atos violentos, até mesmo atentar com a vida de alguém. A raiva é como uma doença que vai corroendo de dentro para fora, e que causa diversos prejuízos físicos, mentais e espirituais para o próprio enfermo e para as pessoas que a este acompanham.

Muitas vezes o amor e o ódio se confundem. O sentimento de rejeição muitas vezes faz com que o amor seja esquecido. Ou que ele seja confundido, muitas vezes este supera o outro. Sempre haverá alguém que ama loucamente alguém que “odeia”. É difícil entender? Pior é sentir tudo isso. Baita confusão dentro do coração. Sentimentos que parecem que vão te explodir a qualquer momento, é o coração que acelera, o estômago que dói, a boca que fica seca, a cabeça que dói. Tudo isso num misto que nos leva a ter alucinações, isso uma alucinógeno.

Então, devemos tentar lidar com esse sentimento. Refletir sobre o motivo do desequilíbrio momentâneo. Tentar compreender a origem do ato na outra pessoa, tentar se colocar no lugar do outro. Tentar perceber que o outro agiu sem nenhuma intenção de produzir o dano que nós agora sentimos.

É claro que não devemos ser coniventes com o desrespeito e ironia dos outros. Aceitar calados tudo o que nos fazem, principalmente quando o intuito é nos prejudicar de alguma forma. É meio que impossível tentar separar o sentimento do amor, do da raiva. Eles andam juntos, como namorados apaixonados.

Ora você odeia, ora você ama. Isso nos traz uma sensação (pelo menos a mim) de desconforto, como se não pudéssemos nos controlar. É como se os nossos sentimentos tomassem conta de todo no ser, do pensar e agira. Ser movido por esses sentimentos é extremamente prejudicial. Ora, não podemos viver de amor e tão pouco de raiva.

Só que sempre existe algum indivíduo para acender em nossos extintos sanguinários. Seja por amar demais e desejar odiar mais ainda.

Nisso tudo temos os sentimentos todos misturados. Amor, antes de tudo, é a sobra da paixão. A paixão faz a gente ficar com cara de idiota. Depois que a enxurrada da paixão passa, sobra a essência do amor. E o amor nada mais é do que agir com a emoção. 

O amor entorpece a alma.

 (Texto elaborado por mim tentando não transparecer qualquer tipo de sentimento. Idéia de Adan Henrique)

Smile.

27 maio

Primeiro, quando te vejo chorar, me dá vontade de sorrir,
Sim, me dá vontade de sorrir.

Lily Allen sem dúvida é uma “personagem” curiosa. Surgiu no cenário musical e veio para escandalizar. Não tem medo de se expressar, fala sem pensar e sem medir consequências (literalmente). Desafia outros cantores, diz que outros a imitam. Entretanto não é sobre ela que quero falar, não diretamente, mas sobre uma de suas canções, a Smile.

Estive conversando com uma amiga hoje e ela me contou toda a sua história. Daquelas que contamos para o carroceiro e o cavalo chora, entende? Ontem, eu falava sobre as mulheres serem pseudo-frágeis. Só que hoje eu percebi que algumas encarnam esse papel por medo, insegurança ou até mesmo comodismo. Ela teve um relacionamento de quase 8 anos conturbado e nessa relação eles tiveram um filho. O que na opinião dela era o único elo de ligação entre os dois, já que o amor havia acabado algum tempo. Então, o rapaz decidiu separa-se dela e está vivendo a sua “nova” vida. E ela? Não consegue olhar adiante. A única coisa que consegue ver é aquele cara, que não liga pra ela, faz de tudo para magoá-la, “esfrega” em sua cara as mulheres com quem está saindo e isso a entristece bastante. Não há um dia seguer que ela não pense nele, não fale nele. E o que mais dá raiva é saber que ele vai atrás dela, acendendo nela falsas esperanças.  E quando encontra ela na rua ri da cara dela.

Então, eu fico me perguntando: como pode alguém aceitar isso? Onde fica o amor próprio nessa hora? É tão estranho ver pessoas sofrendo dessa forma. Apesar de não ter muita experiência de vida, eu tento ao máximo aproveitá-la da melhor forma. Não me prendo ao passado e se as lembranças não saem da cabeça tento pelo menos viver outras coisas para que elas fiquem apenas armazenadas em algum cantinho “empoeirado” do meu cérebro.  É muito triste ver as pessoas se destruindo por causa das outras, perder a razão de viver. E aprendi na marra isso, já passei por uma depressão fortíssima por causa de um “IDIOTA”, não como pessoa, mas como namorado. Tenho um carinho todo especial por ele e gosto muito dele (bem longe de mim, claro!). E desde então aprendi que não tenho como obrigar ninguém a me amar e que viver esperando a boa vontade do outro é idiotice. Se não quer tem quem queira. Ué!

As pessoas sempre vão te magoar e isso é inevitável e apesar de sabermos isso, não ameniza a dor. As pessoas têm que se amar e não digo isso apenas às mulheres e sim aos homens também. Lembrem-se de todas as virtudes que Deus nos deu e acima de todas ela: a DIGNIDADE.

Como havia falado lá em cima sobre a música Smile, muitas vezes dá vontade de fazer isso mesmo. Assitam o vídeo, não reparem tanto na letra. E meninos e meninas amor é o que há. Então se amem 🙂

Recomeços.

27 maio

A vida é feita de recomeços. Disso todo mundo sabe. O que pouca gente é capaz de perceber é a hora de recomeçar. O momento exato que você precisa parar e pensar: “É isso que eu quero pra mim?” Se a reposta for positiva, parabéns! Você realizou o sonho de muita gente. Descobriu o que quer e foi capaz de conquistá-lo. Mas, e se a resposta for “não”? E se você descobrir que não era aquilo que você queria, ou que as coisas não aconteceram como o planejado? Essa é a hora de rever em que momento você errou, ou simplesmente mudou de opinião. Aparentemente, simples.

Mas a simplicidade fica só na aparência. Descobrir o que está errado, e voltar ao inicio é um desafio. E é essa experiência desafiadora que faz a gente ser o que é. Reconhecer o erro ou perceber que aquilo não era o que você queria, faz a gente amadurecer. Digo isso por experiência própria. Estou “virando uma página”. E recomeçar é difícil. Dói e não é pouco. Mas vai valer a pena, disso eu tenho certeza!

Por isso, pare, pense e volte ao início, se necessário. Nada pode tirar-lhe o direito de ser feliz. E se recomeçar for a sua única chance, arrisque. Jogue os dados, gire a roleta. A vida não pode parar!

” As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas possam ir embora. Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se. Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos. Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará. Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo – nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade. Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. ” Fernando Pessoa